domingo, 25 de janeiro de 2009

Um evangelho honesto!

A vida cristã não é a vida que no início seja lindamente ampla e que, à medida em que você prossegue, se torna cada vez mais estreita. Não! Já desde o portal, no próprio caminho de entrada a essa vida,há vereda é estreita... Muitíssimas vezes a impressão nos é dada de que ser cristão é, afinal, bem pouco diferente de não ser cristão, de que não precisamos pensar no cristianismo como uma vida estreita, e sim, como algo atraente, maravilhoso e emocionante, e de que entramos ali em multidões. Isso não está de acordo com nosso Senhor. o evangelho de Jesus Cristo é por demais honesto, para ficar dirigindo convites dessa natureza às pessoas. Ele não tenta persuadir-nos de que se trata de algo fácil, sendo que só mais tarde começaremos a descobrir quão difícil é realmente. O evangelho de Jesus Cristo apresenta-se franco e incondicionalmente como algo que começa com uma entrada estreita, com uma porta estreita...
É nos dito logo no início deste caminho da vida, antes de começarmos a marcha, que se queremos percorrê-lo há certas coisas que terão de ser deixadas para fora, para trás de nós. Não há espaço para elas passarem, porque temos que começar entrando por uma porta estreita e apertada. Gosto de imaginá-la como um torniquete que admite uma pessoa por vez, e somente uma. E é tão estreita que há certas coisas que você simplesmente não pode levar com você. Desde o começo o caminho é exclusivo, e importa que examinemos o Sermão do Monte para vermos algumas coisas que é preciso deixar para trás.
A primeira coisa que deixamos para trás é o que se chama de mundanismo. Deixamos para trás a multidão, o modo de viver do mundo... O modo cristão de viver não goza de popularidade... Você não pode levar a multidão em sua companhia na carreira da vida crsitã; esta, inevitavelmente, requer rompimento.


D. M. LLOYD-JONES.

5 comentários:

Silvana disse...

Sim...Romper!

... disse...

Hey dih muito bom este texto do lloyd, realmente é assim mesmo. Temos sentido e visto na própria péle.

Porém, há sempre um porém, não há como deixa-lo, não ha como voltar... fomos cativados por tão grande amor. seguimos este caminhos, pois vemos bem de perto as pegadas do amado das nossas almas, um caminho traçado e aberto por Ele, com muita lagrima, dor e sangue... sabemos o que nos espera hoje, mas também sabemos o que nos espera na eternidade. Enfim é gratificante, cheio de glória, de misericórdia, de graça, de bondade...

Eduardo disse...

Deus Abençoe... visita ai www.eduardosilveira.com

God Bless

Marcele disse...

Uauuuuuuu...
É o que realmete tenho vivido nesse tempo!
Procurando viver o verdadeiro!!!

Danilo Fernandes disse...

Oi Diego,


Navegando por ai achei seu blog. Surpresa boa. Vou segui-lo a partir de agora. Quando tiver um tempinho, vá visitar meu blog também, o Genizah.

A paz!

Danilo


http://genizah-virtual.blogspot.com/